forworldtriplovers.com

A surpreendente travessia do Atlântico em um barril

Quem sou
Joel Fulleda
@joelfulleda
REFERÊNCIAS EXTERNAS:

FONTES CONSULTADAS:

Avaliação do artigo:

Aviso de conteúdo


Enquanto para alguns a idade da aposentadoria é sinônimo de um merecido descanso, o francês Jean-Jacques Savin, um setuagenário de Ares in Gironde, esportista experiente e apaixonado pela aventura optou por um desafio incrível. , atravesse o Atlântico em um barril. Esta viagem louca, nascida nas terras de Gironde, no coração da Bacia de Arcachon, é uma reminiscência da de Alain Bombard que em 1952 atravessou este mesmo oceano após mais de 60 dias a bordo de uma jangada insuflável. Jean-Jacques Savin embarcou no passado dia 26 de dezembro da ilha de El Hierro, no arquipélago das Canárias, para se deixar transportar sem vela, sem remos, sem motor, nem leme, pela única força dos ventos e correntes para as Caraíbas durante uma expedição que deve durar cerca de três meses. Três meses à deriva durante os quais o homem não será capitão de seu barco, mas passageiro do oceano ...





A louca aventura da “rota do rum de barril”

Cruzando o Atlântico à deriva a bordo de um barril, aqui está um resumo desta incrível aventura. O barril projetado em compensado epóxi projetado para suportar o ataque das ondas quebrando (mas também orcas) tem uma aparência plana para evitar rolar, mede 3 m de comprimento, 2,10 de largura e diâmetro contra 1,70 m nas extremidades para uma capacidade de 10 m3. Prático, funcional e confortável, inclui uma cozinha, uma zona de dormir, uma zona de arrumos e uma zona de navegação, sem falar da vigia para observação dos peixes. O náufrago voluntário também possui um sistema que lhe permite respirar ar fresco e se banhar na ausência de tubarões. A modernidade exige, o barco também está equipado com eletricidade. Para adicionar um pouco de alegria a esta longa travessia, o aventureiro girondino até planejou foie gras, um pequeno Sauternes e um bom Saint-Emilion para comemorar seu aniversário de 72nd durante a travessia.





? Siga o progresso da jornada de Jean-Jacques neste mapa.

Ares, onde tudo começou ...

À beira da bacia de Arcachon, Arès é o ponto de partida desta louca aventura. O barril foi desenhado no pequeno estaleiro deste balneário Gironde e testado por longas horas nas águas da bacia.

Aninhado entre florestas e oceanos, Arès é um resort familiar onde as águas rasas e a pesca de marisco são a alegria dos turistas. Os desportistas mais experientes têm a possibilidade de praticar o surf ao lado do Cap-Ferret, no Grand Crohot e para os amantes da natureza uma infinidade de actividades desportivas como o trekking ou o ciclismo. Vamos lá principalmente em dias de sol e muitos turistas procuram um aluguel em Arès.

Arès seduz pelo seu património, cujas principais curiosidades são a igreja de São Vicente de Paulo, a antiga estação ferroviária, a reserva natural de salinas ... Não muito longe, também pode encontrar Andernos, outra estância balnear e muito agradável. pequeno porto de ostras desde os primeiros dias bons. De Andernos, você pode chegar a Arcachon cruzando a bacia com o ônibus e ter um dia maravilhoso.

Destino caribenho

O ponto de chegada da viagem permanece uma incerteza, pois está ligado aos caprichos dos ventos e das correntes. O navegador espera, do ponto de vista prático, repatriar o barril, chegar a uma ilha francesa como Guadalupe ou Martinica. O mistério permanece intacto ...



Retrato de um verdadeiro aventureiro e um desafio extraordinário

Agora com 72 anos, Jean-Jacques Savin tem experiência como pára-quedista militar, piloto particular e guarda de parques nacionais na África. 2017º lugar no campeonato francês de triatlo em 2015, vangloria-se também da subida do Monte Branco em XNUMX, várias travessias do Atlântico a vela e várias atuações em competições náuticas.





Tal como a de Bombard em 1952, esta expedição tinha vários objetivos científicos que consistiam em lançar balizas do JCOMMOPS (centro de apoio às plataformas de observação in situ da Comissão Técnica Conjunta de Oceanografia e Meteorologia Marítima) para estudar as correntes. Os faróis irão mergulhar a quase 1.000 metros de profundidade por cinco a dez anos enquanto trazem dados. A outra experiência será testar a sensação de solidão em um ambiente fechado.
➡️ Saiba mais no site oficial

A aventura de Jean-Jacques Savin no oceano mostra que os idosos de hoje não faltam imaginação, recursos e coragem. A vida começa na aposentadoria e muito antes, graças a viagens (talvez não enroladas) e microaventuras que abrem lindos horizontes! E você, qual é a aventura que te faz sonhar?



Adicione um comentário a partir de A surpreendente travessia do Atlântico em um barril
Comentário enviado com sucesso! Nós o revisaremos nas próximas horas.